Google+ Impressionante: impressora 3D é 25x mais rápida | Curiosidades, Dicas e Humor

Impressionante: impressora 3D é 25x mais rápida


A impressão 3D tem sido apontada como o futuro da tecnologia para resolver diversos problemas, de diversas áreas. Mas se a gente já viu impressoras 3D fazerem coisas incríveis como imprimir casas e órgãos, isso é passado. A nova tecnologia ganhou um upgrade – e eu nem achava que isso fosse possível.


A nova e impressionante impressora 3D

Uma nova tecnologia de impressão 3D desenvolvida por uma startup do Vale do Silício, nos Estados Unidos, chamada Carbon3D Inc., permite que objetos sejam feitos continuamente a partir de um meio líquido, ao invés de serem construídos camada por camada, como têm sido nos últimos 25 anos em que a tecnologia vem sendo desenvolvida.

Nem preciso falar que isso representa uma abordagem fundamentalmente nova para a impressão 3D. E abre um mundo de possibilidades, naturalmente.

A tecnologia permite que os produtos prontos para o uso sejam feito de 25 a 100 vezes mais rápido do que outros métodos e cria geometrias anteriormente inatingíveis que abre oportunidades para a inovação não só na área da saúde e medicina, mas também em outras grandes indústrias como automotiva e de aviação.

Joseph M. DeSimone, professor de química na UNC-Chapel Hill e de engenharia química na NC State, faculdades dos Estados Unidos, é atualmente também CEO da Carbon3D onde coinventou esse método incrível de impressão com os colegas Alex Ermoshkin, diretor de tecnologia na Carbono 3D e Edward T. Samulski, também professor de química na UNC.

Atualmente, DeSimone tem focado suas energias menos em dar aulas e mais em trazer a tecnologia ao mercado, além de criar novas oportunidades para estudantes de pós-graduação de usar a técnica para a pesquisa em ciência de materiais e desenvolvimento de medicamentos na UNC.

A tecnologia, que recebeu o nome de CLIP – sigla em inglês para “líquido em interface de produção contínua” – manipula luz e oxigênio para fundir objetos em meios líquidos, criando o primeiro processo de impressão 3D que usa fotoquímica sintonizável em vez da abordagem camada por camada, que definiu a tecnologia por décadas.

Como funciona

Essa impressora 3D funciona através da projeção de feixes de luz por uma janela permeável a oxigênio em uma resina líquida.

Trabalhando em conjunto, a luz e o oxigênio controlam a solidificação da resina, criando objetos comercialmente viáveis ​​que podem ter tamanhos menores que 20 mícrons, ou menos do que um quarto da largura de um pedaço de papel.

Através de um acordo de pesquisa patrocinado entre a universidade UNC-Chapel Hill e a startup Carbono 3D, a equipe está atualmente buscando avanços para a tecnologia, bem como materiais que são compatíveis com ela. A impressora CLIP permite que se use uma gama muito ampla de materiais para fazer peças 3D com novas propriedades, incluindo elastômeros, silicones, materiais semelhantes a nylon, cerâmica e materiais biodegradáveis. A técnica em si fornece um modelo para a síntese de novos materiais que pode ser um vasto campo de pesquisa para a ciência.

Um mundo de novas possibilidades

Além de usar novos materiais, a impressora CLIP pode nos permitir fazer objetos mais fortes com geometrias únicas que outras técnicas não nos permitem, como stents cardíacos sob medida para atender as necessidades de um paciente específico, esclarece DeSimone.

A ideia é que a impressão 3D da CLIP viabilize também implantes dentários e outras próteses feitas de acordo com a necessidade de cada paciente.

Lançamento

O lançamento da CLIP acontecerá ainda em 2015 que, coincidência ou não, é o Ano Internacional da Luz e suas Tecnologias, que reconhece aniversários importantes de avanços científicos feitos a partir da luz. 

Fonte: hypescience
Share on Google Plus

About Lello Pensador

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.