Google+ Este é o processo mais lento e mais destrutivo da Terra | Curiosidades, Dicas e Humor

Este é o processo mais lento e mais destrutivo da Terra


Nem as rochas são eternas. Mesmo a montanha mais alta acabará por se dissolver e se desintegrar em algum momento. É aquele tradicional “mais cedo ou mais tarde”. Os geólogos chamam esse processo de “desgaste”. Parece inofensivo, mas o intemperismo é uma das forças mais destrutivas que age sobre a face do nosso planeta.

O que é o intemperismo?

O intemperismo é um conjunto de processos físicos e químicos que dissolvem as rochas ao longo do tempo. Pode envolver a desintegração física e decomposição química das rochas para o solo, clastos soltos (estilhaços de pedras), componentes químicos dissolvidos (íons), e resíduos químicos sólidos. Em outras palavras, o intemperismo é tão poderoso que pode quebrar pedras para baixo em suas estruturas moleculares fundamentais.

Mas, geralmente, toda esta destruição ocorre muito lentamente. A taxa de desgaste acaba variando de acordo com a composição da rocha e o tipo de condições ambientais a que ela está exposta. Mesmo assim essas informações não deixam de ser chocantes. A gente nunca acha que algo tão silencioso vai ter uma força tão destruidora assim.

Qual é a diferença entre intemperismo e erosão?

Intemperismo e erosão caminham lado a lado, de forma que ambos os processos contam com a ação do vento, da água e da gravidade para fazer o transporte de fragmentos para longe da rocha de origem. Quando uma rocha resiste de forma desigual devido à sua composição e sensibilidade para o processo de intemperismo, a erosão diferencial ocorre, produzindo formas inusitadas e texturas – que muitas vezes são adereços incríveis a qualquer paisagem.

A erosão diferencial pode destacar características da rocha, deixando os minerais mais resistentes em contraste maior, como os veios de quartzo fino neste afloramento em uma praia onde há ventos muito fortes, na Califórnia – Estados Unidos.
(foto)

Os processos de intemperismo são divididos em duas categorias: intemperismo físico e intemperismo químico


Os autores Prothero e Schwab caracterizam o intemperismo físico como sendo um “processo lento” em seu livro sobre geologia sedimentar. O intemperismo físico é o real, o que transforma grandes rochas em pequenas, deixando restos não consolidados e móveis. Estes processos físicos são movidos por mudanças de temperatura, mudanças na pressão e atividade orgânica.

Quando a temperatura ambiente oscila perto de 0°C, a água irá congelar repetidamente, se transformando em gelo, e derreter, e congelar novamente. O estado físico fica oscilando conforme a temperatura. Como o gelo tem um volume maior do que a água, a água que fica nas frestas vai aumentando à medida que congela, deixando as fissuras cada vez maiores. Durante o processo de fusão, a água irá preencher uma nova fresta ainda maior, forçando-a ainda mais durante o próximo congelamento.

Este intemperismo que acontece por congelamento-descongelamento da água é mais eficaz em rochas com muitas fraturas, em climas úmidos e obviamente com temperaturas perto de 0°C. A escala de tempo da variação de temperatura (horas, dias, semanas ou meses) terá impacto sobre a taxa de oscilação entre congelamento e descongelamento, com oscilações mais rápidas produzindo a intempérie de forma mais rápida.

Em climas mais quentes

Em climas mais quentes, a cristalização do sal, que acontece a partir da evaporação da salmoura, pode produzir efeitos semelhantes, com os cristais de sal desempenhando o papel de cristais de gelo.


Quando a temperatura ambiente sofre uma variação diária significativa (aproximadamente de 20 a 30ºC), a contração térmica e expansão dos componentes minerais podem quebrar as pedras, fazendo com que elas se separem.

Rochas que ficam sujeitos a hidratação constante e passam por um processo de inchaço e dessecação (contratação) estarão sujeitas a tensões semelhantes. Este intemperismo causado pela ação do sol resulta em produtos idênticos aos do intemperismo de congelamento e descongelamento.

Haja paciência para ver tudo isso acontecer

O intemperismo é tipicamente um processo ainda mais maçante de se assistir do que ver uma pintura secar, mas a esfoliação pode ser francamente emocionante com algumas rachaduras surpreendentes e até bem bonitas. Como você pode ver nas imagens, as rochas ficam com aparências interessantes! É o tipo de coisa que a gente não vê todo dia.

Intemperismo biológico

E por fim, as formas de vida que habitam as rochas também podem contribuir para sua deterioração. Além de ajudarem na formação de rachaduras, esses seres vivos podem ingerir componentes minerais, ou a cavar através das rochas. Este intemperismo biológico é apenas uma das muitas maneiras em que a geologia e biologia estão mais relacionadas do que você imagina.



A dissolução das rochas por intemperismo químico

Desgaste químico é o processo de dissolução completa de pedras, ou dissolução de alguns componentes, resultando em novos minerais, alterados.

Simplificando: quando um mineral sólido é exposto à água ou a um ácido, ele acaba se dissolvendo formando uma solução em alguns íons. A Halita (sal-gema), quando exposta à água, irá se dissolver completamente em íons de sódio e cloro. A Calcita, quando exposta ao ácido, irá se dissolver também, resultando em corrosão da superfície ou em um terreno cárstico.


Hidratação das rochas

A hidratação de rochas acontece quando um mineral é exposto à água e é alterado para uma variante do mineral hidratado. A desidratação é o processo inverso, só que com minerais hidratados se transformando em seus equivalentes desidratados.

Como o ambiente de uma rocha influencia o intemperismo?

O intemperismo pode acontecer em qualquer lugar, até mesmo em outros planetas. As condições ambientais terão impacto nos tipos de intemperismo que será dominantes, com rochas e quebrando mais rapidamente ou menos.

As áreas com alto relevo, altitude elevada, ou em altas latitudes são mais propensas a ser sujeitos a taxas mais rápidas de intemperismo físico do intemperismo químico, enquanto as áreas de baixo relevo, baixa altitude, e baixas latitudes são mais susceptíveis ao intemperismo químico.

O intemperismo físico vai dominar no Ártico, em ambientes de montanha, ou em desertos, enquanto o intemperismo químico vai dominar em pântanos, nos trópicos, e bacias deposicionais.

O desgaste físico é mais intenso em áreas de alto relevo topográfico, em regiões com a variação da temperatura em torno da temperatura de congelação-descongelação (0°C), ou em regiões com extrema variação diária da temperatura. Rochas com lotes de fissuras ou articulações existentes resistem mais rapidamente à medida que vários processos físicos expandem as rachaduras existentes, que por sua vez cria mais área de superfície para interferência de mais processos.

Já o intemperismo químico é o mais rápido em climas quentes e úmidos (como os trópicos).


Regra fundamental

A regra fundamental de intemperismo é que, quanto mais uma rocha está distante das suas condições de formação, mais rapidamente ela será destruída. As rochas são mais estáveis contra as suas condições de formação: se uma rocha permanece na mesma temperatura, pressão e outras condições ambientais (água e ar) que estavam presentes no momento em que a rocha se formou, é mais provável que ela continuará firme e forte nessas mesmas condições. Seguindo nesse mesmo raciocínio: as rochas que são formadas na superfície estão em equilíbrio com as condições da superfície, e são mais resistentes aos agentes atmosféricos.

Rochas que se formaram no subsolo não estão em equilíbrio com as condições da superfície, e são mais propensas a intempéries.

Apesar de lento e previsível, o intemperismo também é um processo altamente destrutivo, como você pode perceber. Ele é capaz de moer montanhas, transformando-as em planícies, e fazer com que as mais duras rochas se transformem em solos.

Sem ele, nós viveríamos em um mundo rochoso e inóspito. Já pensou que ruim?

Fonte: hypescience
Share on Google Plus

About Lello Pensador

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.