Google+ A beleza psicodélica de plantas comuns | Curiosidades, Dicas e Humor

A beleza psicodélica de plantas comuns

Se você acha que “alho” e “beleza” nunca estariam na mesma frase, pense duas vezes e dê uma olhada em uma visão ampliada de uma pequena fatia do caule da planta, capturada por Rob Kesseler, da Universidade de Artes de Londres (abaixo). A imagem é parte de uma série feita com plantas que revela padrões celulares, utilizando uma variedade de técnicas de microfotografia, às vezes unindo mais de 500 disparos para criar uma única imagem.

Em uma exposição na Galeria Lethaby da Central Saint Martins, em Londres, cada imagem é ampliada para abranger uma parede inteira. Os visitantes são convidados a trazer suas próprias amostras pequenas, que serão fotografadas e exibidas em um livro mostrando padrões do micromundo.

1. Papoula


Observar uma fatia de tronco de uma papoula comum sob a luz polarizada produz um efeito psicodélico. A mancha revela células vasculares que parecem ofuscadas por bolhas dispostas perto das paredes tronco. O padrão preto-e-branco no centro é a medula, que absorveu menos do corante.

2. Musgo


Um super close-up desta folha de musgo mostra o que parece ser um bando de vermes aglutinados. As “peças” no padrão são células hialinas: células mortas capazes de armazenar grandes quantidades de água. Estas plantas são importantes na manutenção da turfeira.

3. Amor-de-hortelão (grama)


Esta seção transversal colorida de uma haste de amor-de-hortelão se parece com um complexo objeto de decoração. Os minúsculos pelos visíveis nas pontas fazem com que a planta seja pegajosa ao toque, o que lhe gerou o apelido de “agarra saias”.

4. Prímulas


O caule desta planta florífera esconde uma forma semelhante a uma estrela em seu centro, sendo que o seu contorno é formado por um anel preto de sete células vasculares muito próximas umas às outras. Esta prímula comum distingue-se das outras espécies por suas flores amarelas pálidas que crescem em hastes longas e peludas.

5. Orquídea de folhas estreitas



Encontrada em diversos locais espalhados por todo o Reino Unido, as populações desta orquídea da floresta ameaçada declinaram substancialmente ao longo dos últimos 30 anos. O caule é salpicado com manchas pretas – como na imagem de alho, elas se aglomeram ao redor do tecido vascular.

6. Alho de Nápoles


A estrutura de alho poderia ser confundida com algum mosaico de vidro colorido. Quando uma seção minúscula do tronco é manchado com azul de toluidina, um corante que se acumula nas partes ácidas de tecido, os ácidos nucleicos assumem esta cor. A mancha escura é um feixe de tecido vascular que transporta nutrientes e líquidos até o tronco. A imagem completa é um composto de 55 tiros.

Fonte: hypescience
Share on Google Plus

About Lello Pensador

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.